segunda-feira, 25 de junho de 2012

CONSELHOS PRÁTICOS PARA VIVER BEM EM 2012

Salmos 34.12-22. Amados no SENHOR, em cada inicio de ano tenho o costume de renovar meus sonhos, meus ideais, meus projetos e meus votos de compromisso com Deus. O que faço não é algo incomum muita gente também tem esta prática, no inicio de cada ano, contudo acredito que algumas pessoas, mal orientadas, são motivadas a renovarem compromissos desnecessários para saúde espiritual. Quero contribuir para sua renovação citando alguns bons conselhos, que o SENHOR colocou diante de mim para que eu venha me comprometer. Estes conselhos são baseados na Palavra de Deus, sendo assim servem como bússola para todas as pessoas que desejam viver segundo a vontade de Deus. Quer viver bem em 2012? I – USE BEM A SUA BOCA. V.13 Não entre em discussões fúteis. Não proferir palavras de baixo escalão. Não proferir palavras destruidoras II – EVITE O MAL. V.14 Evite lugares perigosos. Evite pessoas envolvidas com o mal. Evite problemas III – PARTIQUE O BEM. V.14 Ajude quando alguém precisar da sua mão. Sempre que possível siga as regras. Em todas as atitudes viva a regra de ouro “O bem que você quer que os homens vos façam fazei aos homens” IV- SEJA DA PAZ. V.14 Deixe-se dominar pela paz Evite confusões Seja um pacificador “Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor”. Sl 34.15 Tenha um ano de 2012 abençoado! Do Vosso Amigo e Pastor, Emmanuel Neto

domingo, 18 de dezembro de 2011

DIRETO DO CORAÇÃO DE DEUS

“Não, eu não estou pronto. Mas quem é que está?“, foi o que respondi ao examinador logo no início do meu concílio pastoral. Ele havia me perguntado se eu estava pronto para o ministério. De fato, penso que nenhum homem jamais estará totalmente pronto para a grande responsabilidade que é ser um pastor.

Na manhã de hoje, quando agradecemos a Deus pela vida e ministério do nosso querido casal, Pr. Emmanuel e Sandra, eu me pergunto quem é que está realmente pronto para tamanha responsabilidade que é pastorear uma igreja que está nascendo?

Mas louvo a Deus porque Ele não escolhe homens “prontos” ou auto-suficientes, mas escolhe sim, homens como o Pastor Emmanuel. Servos dispostos a buscar o direcionamento de Deus, através de um relacionamento a cada dia, pois tem consciência de que é o Soberano quem lhes desperta a cada manhã (Is 50.4) e de que Ele é a sua força (Hc 3.19).

Louvo a Deus porque ele escolhe servos que compreendem que Deus é o Senhor da História, mas também o Senhor da sua história pessoal. O Pastor Emmanuel tem enxergado a ação de Deus em sua vida desde o seu nascimento, passando por conversão, chamado para o ministério e casamento. Quando passava em frente da Cidade Batista e sonhava com uma igreja nesse lugar, sabe que já era Deus preparando seu coração. Hoje, quando nos prostramos ante Deus em gratidão, enxerga que o Senhor continua no controle, conduzindo a história de sua vida.

Mas acima de tudo, louvo a Deus porque ele continua nos dando pastores segundo o seu coração (Jr 3.15). Podemos ter segurança então, pois nada que vem direto do coração de Deus pode ser ruim. O coração de Deus sempre abriga o que há de melhor.

Que Deus abençoe o Pastor Emmanuel e Sandra. Que o amor de Deus seja a marca desse ministério e flua poderosamente nesse lugar. Amor do pastor pelo seu rebanho. Amor do rebanho pelo seu pastor. Amor de todos pelos perdidos.

Que para tanto o amor de Deus abunde em nossos corações.


Pr. Elber Costa Macharetti
Rio de Janeiro, 17 de Julho de 2011

BÍBLIA NAS ESCOLAS PÚBLICAS

"Toda escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça" (2 Tm 3.16).

O massacre de crianças na escola Tasso da Silveira em Realengo reacende uma série de debates sociais e espirituais. Em minha opinião um dos debates que deve ser novamente discutido é sobre o ensino religioso em escolas públicas. Numa época em que se fala muito de bullyng nas escolas é possível fazer a seguinte leitura, que boa parte dos casos é proveniente de ausência de espiritualidade nos alunos. O ensino religioso contribui para educar uma sociedade que urge em conceitos espirituais, como: Amor ao próximo, o mundo é nossa família, é melhor dar do que receber, preserve a terra, não faças o mal, colhemos aquilo que semeamos, conquista com amor, bem-aventurados os pacificadores, honra teu pai e tua mãe, ama os teus inimigos, etc. Alguns políticos têm sido contra esta realidade nas escolas públicas em nome de um país laico. Oremos para que assim como grandes homens no passado, que descobriram na Bíblia fonte para transformação de vida, os homens que estão no poder do nosso país também descubram esta verdade.
Para os homens pensantes de todos os séculos, as Escrituras Sagradas assumem posição preeminente acima de todos os outros livros. Isaque Newton referiu-se aos Evangelhos como "a mais sublime filosofia da Terra". Goethe disse: "Para mim os Evangelhos são verdadeiros, desde o princípio até o fim". Benjamin Franklin, Abraham Lincoln, Franklin Roosevelt, D. Pedro II e tantos outros líderes já renderam elevado tributo ao poder do Livro do Céu. E são do romancista Coelho Neto, as palavras: "Homem de fé, o Livro de minh'alma aqui o tenho: é a Bíblia o pão para minha fome de consolo, a luz nas trevas das minhas dúvidas, o bálsamo para as dores das minhas agonias... Eis o livro que é a valise com que ando em peregrinação pelo mundo. Tenho nele tudo".
Tramita na Câmara do Rio o Projeto de Lei n° 862/2011, de autoria do Poder Executivo, que tem por objetivo criar no quadro permanente da Prefeitura a categoria funcional de professor de ensino religioso, para atuação exclusiva no âmbito da Secretaria Municipal de Educação – SME. Uma vez aprovado no Plenário da Câmara e sancionado pelo Prefeito, o ingresso dos professores será feito mediante concurso público por meio de provas e títulos, para atuação no ensino fundamental. A composição de cargos criada por esse projeto corresponde a 600 vagas para Professor de Ensino Religioso. Oremos por este projeto. Amém!
Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2011

Os Semeadores saíram a semear

Amados no Senhor,

Não canso de repetir como chegamos a esta linda congregação. Em 2008 viemos morar na estrada dos Caboclos. Um certo dia resolvi caminhar por esta estrada, a visão não era tão inspiradora, contudo não podemos andar por vista, mas sim por fé. E com a fé de um semeador avistei a Cidade Batista e orei ao Senhor no meu íntimo: “aqui seria um bom lugar para começar uma igreja”. Ainda no ano de 2008 eu e minha esposa nos apresentamos à equipe JASC para iniciarmos um trabalho voluntário na Cidade Batista. Durante o período de conversas e troca de idéias a Primeira Igreja Batista de Campo Grande começa o trabalho em 12 de Outubro de 2009. Quando a igreja iniciou, eu e minha esposa oramos para que o Senhor nos coloca-se também nesta obra. Sandra então foi contrata para trabalhar como coordenadora do Lar Diácono Lucas Máximo. Na época minha esposa trabalhava no Seminário Teológico Batista Carioca.
Em Janeiro deste ano nas minhas férias do trabalho, começamos a semear com mais intensidade. A promessa do Senhor para aqueles que semeiam com lágrimas se cumpriu na nossa vida. Em Maio deste ano nos tornamos membros e missionários da Primeira Igreja Batista de Campo Grande. Com o grande apoio que nossa igreja mãe nos ofereceu, foi permitido conduzir vidas a se entregarem a Cristo, discipulados, realização de cultos nas casas e ao ar livre, criamos projetos, conduzimos ao batismo o irmão Milton que está no Senhor, apresentamos crianças, visitamos e evangelizamos muitas pessoas, doamos alimentos aos necessitados, roupas e calçados, batizaremos mais irmãos em novembro e nos preparamos para celebrar um casamento no próximo ano. Realizamos grandes programações. Amamos, algumas vezes fomos hostilizados, mas continuamos a semear. Não sei quanto tempo o Senhor nos manterá nesta obra, mas antes que o Senhor nos leve não podemos deixar de agradecer a todos os irmãos que não saíram desta batalha depois que chegamos, agradecemos também aqueles que retornaram, agradecemos aqueles que chegaram neste ano, agradecemos ao Pastor Carlos Elias e família, agradecemos ao Pastor Elber e família, agradecemos ao irmão Davi e o Devam, agradecemos ao diácono Luiz Botelho e ao corpo diaconal, agradecemos por aqueles que vão vir, pois cremos que quem semeia a preciosa semente andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. Nesta celebração de 2 anos da Congregação Batista Memorial da Cidade Batista, rogo a todos os irmãos que não afrouxe as mãos nesta semeadura, pois o que estamos vivendo não passa de gotas daquilo que o Senhor tem reservado para nós.

Dos Vossos Missionários Pr. Emmanuel Neto e Sandra Delfiaki

Rio de Janeiro, 16 de Outubro de 2011

BONS VOTOS PARA CUMPRIR EM 2011

Salmos 101:1-8
Amados no SENHOR, em cada inicio de ano tenho o costume de renovar meus sonhos, meus ideais, meus projetos e meus votos de compromisso com Deus. O que faço não é algo incomum muita gente também tem esta prática, no inicio de cada ano, contudo acredito que algumas pessoas, mal orientadas, são motivadas a renovarem compromissos desnecessários para saúde espiritual.
Quero contribuir para sua renovação citando alguns bons votos, que o SENHOR colocou diante de mim para que eu venha me comprometer. Estes votos são baseados na Palavra de Deus, sendo assim servem como bússola para todas as pessoas que desejam viver segundo a vontade de Deus.
Comprometo-me a
I- SER SINCERO NA MINHA CASA. V.2
“Andarei em minha casa com um coração sincero”.
II- NÃO ALIMENTAR A MINHA VISÃO COM COISAS QUE NÃO EDIFICAM. V.3
“Não porei coisa má diante dos meus olhos”.
III- SELECIONAR BEM AS AMIZADES. V.4
“não conhecerei o homem mau”.
IV- NÃO FALAR TÃO MAL DAS PESSOAS. V5
“Aquele que murmura do seu próximo às escondidas, eu o destruirei”.
Para todo o cumprimento da Palavra de Deus o SENHOR nos promete bênçãos e neste salmo o Senhor nos diz: “Os meus olhos estarão sobre os fiéis da terra, para que se assentem comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá”. (v.6) Contudo o não cumprimento da vontade do SENHOR nos leva a um triste resultado, diz o Senhor: “O que usa de engano não ficará dentro da minha casa; o que fala mentiras não estará firme perante os meus olhos. Pela manhã destruirei todos os ímpios da terra, para desarraigar da cidade do SENHOR todos os que praticam a iniqüidade”. (vv.7 e 8) Mais uma vez o nosso Deus nos permite escolher a bênção ou a maldição, escolhemos, pois a bênção para que vivemos.

Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 16 de Janeiro de 2011

Cumprindo a missão do Senhor Jesus Cristo

Em Mateus 28.16-20 temos uma das missões que Jesus Cristo deixou para sua igreja. Após a ressurreição do Senhor, Cristo encontrou com os 11 apóstolos em um monte na Galiléia. Alguns adoraram, mas outros duvidaram. Neste misto de fé e dúvidas Jesus disse: “É me dado todo o poder no céu e na terra”. A fala de Cristo dissipou todo a dúvida acerca da sua ressurreição. Jesus venceu a morte demonstrando sua autoridade sobre todas as coisas. Após falar do seu poder Jesus lança uma missão a sua igreja. A lógica desta missão é a seguinte: pelo fato de Cristo ter todo o poder Ele tem autoridade para dar poder a igreja para realizar a sua missão. Sendo assim a missão da igreja é manifestar o poder de Jesus.
Jesus disse: “Portanto ide”, uma tradução mais apropriada seria “tendo ido” ou “indo”. Esta tradução nos mostra que a missão deve ser algo contínuo, ou seja, enquanto vamos “indo” devemos cumprir missão do Senhor.
O “indo” de Jesus encube em discipular a todas as etnias, ou seja, fazer discípulos. A conseqüência da evangelização e do discipulado é o batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Neste dia memorável nosso Senhor Jesus Cristo concede a esta novel congregação o privilégio de cumprir parte de sua missão. Nossa irmã Cléia foi evangelizada, converteu-se ao evangelho de Jesus e tem sido discipulada. A palavra do Senhor Jesus para irmã Cléia e a todos os irmãos que ainda vão passar pelo batismo é a seguinte: “(Jesus) Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. Todo aquele que entrega a sua vida a Cristo Jesus pode contar com esta promessa de Jesus.


Do Vosso Amigo e Pastor, Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 15 de Novembro de 2011

O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA

"Quando aceitei Jesus Cristo como meu Salvador, uma grande luz iluminou meu coração e o fez puro e, então, eu vi quão fraco eu era em adorar Kali Mata (Mãe Preta), e roubar, e matar”.
O autor destas palavras pertencia a uma quadrilha de assaltantes, que por muitos anos assolava os viajantes, atacando-os e roubando-lhes tudo que possuíam. A quadrilha invocava as bênçãos da sanguissedenta deusa Kali, e dividiam os lucros com os seus sacerdotes. Mas chegou o dia em que Lachman ouviu o evangelho de Jesus Cristo, cuja mensagem de amor e perdão o fez uma nova criatura, estimada e apreciada por todos. Nesta ocasião, seu único filho, um rapaz de quinze anos, acabara de fazer a sua profissão de fé, na Igreja de Cristo. O grupo de cristãos da vila ergueu sua voz num cântico alegre, dizendo: "Jisu Masih ki jai", que significa "vitória por Jesus Cristo". A partir desta profissão de fé exclamou Lachman: "Sahib, este é o dia mais feliz da minha vida!"
Amados, trabalhemos com dedicação para que o evangelho de Jesus Cristo chegue a outros e proporcione momentos memoráveis, onde as pessoas possam dizer este dia é o dia mais feliz da minha vida.

Do Vosso Amigo e Pastor, Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 13 de Novembro de 2011

Missões mundiais acertos e equívocos – Parte I

Os pensamentos acerca de missões mundiais são os mais variados possíveis. Todo cristão que tem um interesse sobre este tema tem uma opinião particular. Acredito que algumas opiniões são boas e outras equivocadas.
No início da minha caminha cristã fiquei apaixonado com a visão romantizada de missões mundiais. Ora meu desejo era ir para o Japão, ora para o Oriente Médio em algum país de cultura árabe e até para Israel. Quase todos os testemunhos missionários que eu ouvia na minha igreja geravam em mim o desejo de abandonar tudo e seguir o missionário em missões pelo mundo afora. Até que um dia um seminarista me alertou sobre a minha visão romantizada de missões mundiais, pois eu falava para todo mundo que desejava ir para o Japão fazer missões. Esta exortação na minha vida foi o pontapé inicial para o meu amadurecimento sobre missões.
Vejo então alguns acertos e equívocos na igreja de hoje sobre a prática de missões mundiais:
1. Acredito que a igreja caminha certa quando faz missões mundiais, independente se sua região está totalmente alcançada para Cristo. Pois segundo Atos 1.8 que diz: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra”. A obra da evangelização precisa ser simultânea.
2. Acredito que a igreja caminha equivocada quando superestima missões mundiais em relação a missões locais. Muitos supervalorizam os missionários fora de sua nação, como se sua experiência em outro país tivesse mais valor do que em território nacional. Outros superestimam missões mundiais em relação ao investimento financeiro. Enquanto igrejas locais com pouco apoio financeiro e mínimos recursos tentam sobreviver, algumas igrejas não medem esforços para levantar fundos para missões estrangeiras.
(continua no próximo editorial)

Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 13 de Março de 2011

O Sorriso de Deus

O sorriso é um dos presentes que não tem preço. De graça recebemos e de graça devemos dar. A fome maior do mundo é da carência de afeto. Quando nos encontramos em situações difíceis, aprendemos a valorizar os pequenos gestos. Um simples sorriso pode reacender o entusiasmo numa pessoa desanimada e triste.
Existem vários tipos de sorrisos. Sorriso de alegria, sorriso de deboche, sorriso por estar envergonhado, sorriso de raiva, sorriso de espanto etc.
O patriarca Abraão sorriu certa vez de espanto diante da enormidade da promessa que o Senhor fez: “A Sarai tua mulher não chamarás mais pelo nome de Sarai, mas Sara será o seu nome. Porque eu a hei de abençoar, e te darei dela um filho; e a abençoarei, e será mãe das nações; reis de povos sairão dela” (Gn 17:15-16).
Abraão com cem anos e Sara com noventa anos, como poderia gerar filhos? Mas o Senhor fez a promessa: “Sara, tua mulher, te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque” (Gn 17:19). A forma abreviada de Isaque no hebraico é Yçhq-EL, que significa: “Que Deus sorria, seja favorável” ou “sorriu, mostrou-se favorável.
O cumprimento da promessa é a expressão exata do sorriso de Deus para com Abraão. O homem de Deus consegue com a sua vida extrair um sorriso do Senhor, porque era amigo de Deus. Como está a sua vida? Ela está extraindo sorrisos do Senhor?
Amor ao próximo, alegra-se em dar, não praticar o mal, preservar a terra, semear boas ações, amar os inimigos, não julgar segundo a aparência, perdoar, falar a verdade, ser brando na ira, respeitar o idoso, ser humilde, ser hospitaleiro, praticar a caridade, orar sempre, ler a Palavra do Senhor continuamente são algumas coisas que fazem o Senhor sorrir.
Lembre-se que o sorriso do Senhor se expressa também no cumprimento de suas promessas na sua vida. Quando Deus sorrir, o seu favor nos alcança.

Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 13 de Fevereiro de 2011

A PALAVRA DE DEUS TRAZ AVIVAMENTO.

"Preservando a palavra da vida para que, no dia de Cristo, eu me glorie de que não corri em vão, nem me esforcei inutilmente" (Fp 2.1b).

Li uma história onde certos soldados estavam em batalha. Um deles, cristão, levava no bolso da camisa uma pequenina Bíblia. Em meio ao ruído de gritos e granadas a explodirem, os rapazes seguiam, conduzindo o aviamento do corpo de saúde. De súbito, o cristão caiu ao solo. Um companheiro correu ao seu lado, e admirou-se de encontrá-lo ainda com vida. Pondo a mão no bolso da camisa, o filho de Deus tirou sua pequenina Bíblia. A capa tinha um orifício. A bala atravessara Gênesis, Êxodo, Levítico... Samuel, Reis, Crônicas...
"Onde pensais que a bala se deteve?", perguntou mais tarde o jovem quando escreveu sobre o caso, numa carta para os seus. "Exatamente no meio do Salmo 91, apontando para o verso: 'Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas tu não serás atingido'“.
A Palavra de Deus deteve a bala de penetrar no coração daquele jovem, salvando-lhe a vida. A Palavra divina já deteve muito dardo inflamado despedido pelo inimigo das almas, salvando para a vida eterna as pessoas por ele visadas. Não é admirável, pois, que Paulo se referisse às Escrituras como "a Palavra da Vida". Dentro de suas sagradas capas, o homem encontra não só luz, mas vida a abundante vida neste mundo, e vida eterna no mundo por vir!
Hoje os evangélicos de todo o país comemoram o dia da Bíblia. Contudo é muito triste saber que muitos evangélicos nunca leram a Bíblia toda. Apenas 10 minutos diários é possível ler a Palavra de Deus nos 365 dias do ano. Peço aos amados da congregação que ainda não leram a Bíblia de Gênesis a Apocalipse que assumam hoje no dia da Bíblia um compromisso com o Senhor Jesus de ler no ano de 2012 toda a Palavra de Deus.

Do Vosso Amigo e Pastor, Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 11 de Dezembro de 2011

QUANTO VALE A SUA CONTRIBUIÇÃO PARA MISSÕES?

“Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás” (Ec 11.1).
Li uma história de uma família que em certa ocasião, teve de mudar-se; e, na confusão da mudança, algumas caixas que continham dinheiro não foram postas em lugar seguro. Aconteceu que uma parte da bagagem não foi transportada. Em vão tentaram encontrá-la e, nada conseguindo, desistiram, pensando que o dinheiro também se perdera com ela. Longo tempo depois, inesperadamente, encontraram as caixas. Ao abri-las, os filhos do casal verificaram que continham mais ou menos a mesma importância - cerca de R$ 26,000. O filho mais velho queria muito um relógio e, sem hesitar, tomou toda a parte que lhe cabia para a compra do mesmo. O segundo irmão tinha a mente dividida. Gastou a metade para si mesmo, e a outra metade deu às missões. O mais novo dos três entregou tudo o que recebeu ao Senhor, e o fez com inteireza de coração e alegria.
A ação de cada um destes três rapazes foi profética, por assim dizer, indicando a futura direção de suas vidas. À medida que os anos se passaram, isto se verificou plenamente. O mais velho empenhou-se em muitas empresas que pareciam prometer fortuna. Gastou grandes somas, mas, ao fim da vida, era um homem pobre, e dependeu por algum tempo da generosidade de seu irmão mais novo. O segundo não era pobre nem rico, nem estava contente com sua situação. O terceiro, no entanto, o mais jovem, morreu deixando R$ 260.000, depois de haver ainda doado a mesma quantia às missões e a outras obras de amor.
Respondendo a pergunta deste editorial, ou seja: quanto vale a sua contribuição para missões? Não pode ser calculado. Muitos de nós não viveremos para ver as maravilhas que Deus fará com a nossa contribuição para missões. No mês de missões reflita um pouco mais sobre a dádiva da liberalidade para missões.
Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 11 de Setembro de 2011

Tempo de UNIDADE para salvar a Cidade

O título acima é do tema da campanha de Missões Urbanas 2011 da Convenção Batista Carioca. Este tema revela a necessidade que temos como Batistas cariocas nos unirmos para transmitir a salvação de Cristo à cidade do Rio de Janeiro. Contudo a unidade das Igrejas Batistas cariocas começa na unidade em cada igreja, e no nosso caso começa na unidade na nossa Missão Batista.
Nós a Missão Batista Memorial da Cidade Batista fazemos parte desta campanha, pois somos uma frente missionária, localizada em um bairro urbano e dentro do espaço da Convenção Batista Carioca, pois a Cidade Batista pertence a todas as Igrejas Batistas da CBC.
Segundo o IBGE o bairro de Campo Grande é o mais populoso do Rio de Janeiro - Entre os 160 bairros do Rio de Janeiro, o de Campo Grande, na zona oeste possui cerca de 330 mil habitantes.
Os dados fazem parte de um levantamento divulgado pelo IBGE, com base no Censo 2010.
Motivado por esta pesquisa, quero novamente conscientizar os queridos irmãos que estamos iniciando uma igreja, criando a maior agência deste mundo, agência proclamadora do Reino de Deus. As condições que estamos realizando o trabalho são adversas, contudo rogo aos amados que se esforcem um pouco mais na missão que o Senhor nos confiou a realizar neste lugar. Rogo aos amados que participem mais ativamente das programações fixas da Missão Batista, rogo aos amados que apóiem mais as atividades extraordinárias que são convocadas com bastante antecedência por meio do boletim dominical e anuncio nos cultos e por fim peço no amor de Cristo Jesus que não abandonem a celebração do culto da noite. O vosso Pastor tem preparado mensagens edificantes, idealizado dois projetos para implantar no culto da noite, que são: o culto da família (4º Domingo) e o culto de missões (2º Domingo). Portanto irmãos é tempo de unidade para salvar os bairros ao redor da Cidade Batista.
Nosso Senhor Jesus em sua oração sacerdotal disse: “Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim” (João 17.23). Busquemos a perfeita unidade para que o mundo conheça a Jesus, o Salvador!
Do seu amigo e Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 10 de Julho de 2011

A importância do Ministério de Educação Cristã

Amados em Cristo Jesus. Neste mês da Escola Bíblica Dominical, quero ratificar a importância não somente da Escola Bíblica Dominical, mas também de um ministério de educação cristã numa igreja local. A doutrina Batista diz o seguinte sobre o tema educação religiosa:
“O ministério docente da igreja, sob a égide do Espírito Santo, compreende o relacionamento de Mestre e discípulo, entre Jesus Cristo e o crente.1 A palavra de Deus é o conteúdo essencial e fundamental nesse processo e no programa de aprendizagem cristã.2 O programa de educação religiosa nas igrejas é necessário para a instrução e desenvolvimento de seus membros, a fim de “crescerem em tudo naquele que é a cabeça, Cristo”. Às igrejas cabe cuidar do doutrinamento adequado dos crentes, visando à sua formação e desenvolvimento espiritual, moral e eclesiástico, bem como motivação e capacitação sua para o serviço cristão e o desempenho de suas tarefas no cumprimento da missão da igreja no mundo.3 “ (1 Mt 11.29,30; Jo 13.14-17; 2 Jo 14.26; 1Co 3.1,2; 2Tm 2.15; 3 Sl 119; 2Tm 3.16,17; Cl 1.28; Mt 28.19,20). Para que as igrejas do Senhor caminhem de forma abundante na sua missão, alguns ministérios são fundamentais para o bom funcionamento e o ministério de educação cristã é um deles. Minha oração é que Deus levante um (a) servo (a) para que comece a desenvolver um projeto de educação cristã. Dentro da minha visão pastoral existem alguns ministérios que são básicos para composição do ministério de educação cristã, que são os seguintes: Ministério de Escola Bíblica Dominical, ministério com adolescentes e Jovens, ministério Infanto-Juvenil, ministério com mulheres, ministério com homens, ministério com Embaixadores do Rei e ministério com Mensageiras.
Todos os irmãos que estão frequentando conosco a missão que sentirem tocados pelo Espírito Santo para trabalharem para o Senhor dentro da área de educação cristã, me procurem para que eu possa orientá-lo e inseri-lo dentro de um ministério específico, para que então você sirva a Deus naquilo que Ele te chamou.
Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 10 de Abril de 2011

Esta Congregação Também É Sua

O capitão da Marinha D. MICHAEL ABRASHOFF teve uma experiência na liderança do navio de guerra que resultou no livro “Este Barco Também É Seu”, da editora CULTRIX.
Quando o capitão Abrashoff assumiu o comando do USS Benfold, um navio de guerra moderno, equipado com os sistemas mais avançados da atualidade, foi como se passasse a dirigir uma empresa com toda a tecnologia disponível, mas de baixa produtividade. Consciente de que a responsabilidade de melhorar o desempenho recaía sobre os seus ombros, ele compreendeu que precisaria desenvolver a sua própria capacidade de liderança antes de tentar aprimorar o navio. Em poucos meses, Abrashoff conseguiu uma tripulação constituída de pessoas confiantes, motivadas a solucionar problemas e dispostas a tomar iniciativas e assumir a responsabilidade pelos seus atos. O lema a bordo de Benfold passou a ser "Este Barco Também É Seu" e, em pouco tempo, o navio foi reconhecido unanimente e em todos os níveis hierárquicos da Marinha como um modelo da eficiência naval.
Esta experiência do navio Benfold me fez refletir e propor aos irmãos que fazem parte da Congregação Batista Memorial da Cidade Batista a assumir o seguinte lema: Esta Congregação Também É Sua.
Esta congregação também é sua para que você trabalhe pelo seu crescimento, para que você cresça no conhecimento da Palavra, na santidade, no conforto mútuo e na espiritualidade; esta congregação também é sua para que você frequente os seus cultos, aprenda suas doutrinas, suas ordenanças e sua disciplina; esta congregação também é sua para que você contribua liberalmente para o sustento do ministério, para as despesas da congregação, para o auxílio dos pobres e para a propaganda do evangelho em todas as nações.
Esta congregação também é sua para que você cuide dos outros; lembrando nas orações; ajudando nas enfermidades e necessidades; cultivando relações francas e a delicadeza no trato; estando pronto a perdoar as ofensas, buscando, quando possível, a paz com todas as pessoas..
Amados irmãos clamo ao Senhor que assim como o navio Benfold tornou-se modelo de eficiência naval, nossa congregação torne-se um referencia de igreja Cristã para todos que estão sedentos da água da vida que é Jesus Cristo. Conseguiremos tal vitória quando cada um de nós desde a criança até o idoso assumirmos não de boca, mas na prática o lema Esta Congregação Também É Sua.

Do Seu Amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 09 de Outubro de 2011

O amor requer prioridade

Você conhece alguém que é ciumento? Com certeza deve conhecer! Um namorado, uma namorada, um noivo, uma noiva, um marido, uma esposa, não é difícil encontrar. O ciúme é um sentimento e manifestação da apreensão provocada pelo receio de perder o objeto ou pessoa amada. Quantos problemas um casal enfrenta quando existe ciúme na relação? Muitas são as aflições e angústias geradas por este sentimento. É claro que pode existir também uma forma de ciúme mais leve, que se confunde com zelo pela pessoa amada, este sentimento em certa forma é benéfico e faz bem para saúde emocional de um casal. Algumas pessoas que são ciumentas desejam exclusividade na relação. Para elas o amor deve ser exclusivo, este sentimento também é uma forma de dominar o outro. Deus não é escravizado por este sentimento, o amor de Deus é diferente, ele não requer exclusividade, pois a sua vontade é que amemos a todos, mas o Senhor requer de nos prioridade.
Na versão grega Nestlé do Novo Testamento Lucas 14:26 aparece assim: “Se alguém vem para com migo e não odeia o pai dele próprio, e a mãe, e a mulher, e os filhos, e os irmãos, e as irmãs, ainda até também a vida dele próprio, não pode ser de mim discípulo” (tradução literal do grego para o português). Esta ordem de Jesus para odiar os familiares é uma forma de o hebreu se expressar os teólogos chamam de hebraísmo. Odiar neste versículo tem o sentido de desapego total e imediato para seguir a Jesus. O mestre requer prioridade acima de todos e qualquer coisa.
Seguir a Jesus requer prioridade! Quão doloroso é o chamado do evangelho, desapego total, não é deixar de amor os outros, pois isto seria uma contradição da mensagem de amor de Cristo, mas nosso amor precisa colocar Cristo acima de nossos corações.
Neste dia que o Senhor nos fez reflita sobre o que você ainda precisa se desapegar, para colocar Cristo no centro do seu coração, coloque tudo aos pés de Cristo, pois ELE cuidará de ti e dos seus e de tudo que é seu.
Do seu amigo pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 09 de Janeiro de 2011

“Deus é Pai e, ainda mais, Mãe.” (Papa João Paulo I)

Esta temática de Deus revelar-se como mãe é uma teologia feminista que possui respaldo nas Escrituras Sagradas em minha opinião. No livro a Cabana esta teologia aparece na revelação da trindade onde Deus Pai revela-se como uma mulher negra, Deus Filho como carpinteiro e Deus Espírito Santo como uma mulher oriental. O autor do livro é William P. Young. Ele nasceu em Alberta, no Canadá, mas passou grande parte de sua infância em Papua Nova Guiné, junto com seus pais missionários, em uma comunidade tribal. Pagou seus estudos religiosos trabalhando como DJ, salva-vidas e em diversos outros empregos temporários. Formou-se em Religião em Oregon, nos Estados Unidos.
Este livro conta uma história que durante uma viagem de fim de semana, a filha mais nova de Mack Allen Phillips é raptada e evidências de que ela foi brutalmente assassinada são encontradas numa cabana abandonada.
Após quatro anos vivendo numa tristeza profunda causada pela culpa e pela saudade da menina, Mack recebe um estranho bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o a voltar à cabana onde aconteceu a tragédia.
Apesar de desconfiado, ele vai ao local numa tarde de inverno e adentra passo a passo o cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda o seu destino para sempre.
Neste encontro com a trindade na cabana um dos diálogos de Mack com Papai marcou a minha vida. Deus Pai se revelou como mãe porque Mack tinha dificuldade de aceitar a figura paterna, pois não teve um bom pai. Como Mack acredito que boa parte das pessoas são marcadas mais com uma visão negativa de pai do que de uma mãe em suas histórias familiares. No livro o autor aborda a necessidade de Deus se revelar a humanidade como Pai, pois a figura masculina de fato precisa de um reforço para ser bem vista, pois na figura de mãe está explícita a revelação do amor de Deus. Portanto ser mãe é isto revelar o rosto materno de Deus. Ser mãe é uma das melhores figuras para expressar o carinho, o cuidado, o acolhimento e o amor de Deus. Feliz dia das mães!

Do seu amigo e Pastor Emmanuel Neto

Rio de Janeiro, 08 de Maio de 2011

AGOSTO MÊS DA JUVENTUDE E DOS ADOLESCENTES

"Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão do fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza" (1Tm 4.12).

Gilbert Keith Chesterton, conhecido como G. K. Chesterton, (Londres, 29 de maio de 1874 — Beaconsfield, 14 de junho de 1936) foi um escritor, poeta, narrador, ensaísta, jornalista, historiador, biógrafo, teólogo, filósofo, desenhista e conferencista britânico.
Lord Chesterton uma vez afirmou: "Eu creio no arrependimento à beira da morte, mas não quero depender dele“. Durante uma enfermidade séria, a mente não funciona normalmente. Acertar a vida com Deus é algo que deve ser feito no vigor da saúde.
Em minha experiência, conheci poucas pessoas que tenham encontrado Cristo no leito de morte. Quando aceitamos Cristo na juventude, uma trajetória de vida é salva.
Quando o aceitamos na velhice, a alma é salva e a vida eterna é garantida, mas a oportunidade de aproveitar a juventude para uma vida de dedicação a Cristo passou.
Rogo ao Senhor Jesus Cristo, que motive nossos corações a buscar os jovens que estão começando a sua aventura na vida e os idosos que chegam ao fim de sua jornada.
No mês que separamos para refletir sobre a juventude e adolescência vamos nos esforçar na missão de levar a mensagem do amor que salva. Pois fazendo isto ofereceremos a oportunidade a jovens e adolescentes a ter uma linda história de vida ao lado de Cristo Jesus, nosso Senhor.

Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 07 de Agosto de 2011

SOMOS IGREJA QUANDO TEMOS UNIDADE

Li uma história que certo missionário estava administrando a ceia do Senhor, numa capela, na Índia. Entre os cristãos ajoelhados perante o altar, estavam um ex-brâmane e outra pessoa que tinha sido um pária na índia. O primeiro pertencera a mais alta casta social e o segundo, tão inferior era na escala social, que nem casta possuía. O missionário entregou o cálice a ambos.
Aos olhos de Deus as diferenças de raça, de nacionalidade ou de classe social nada valem. Na igreja cristã todos somos um em Cristo.
Ainda não chegamos a ter uma só igreja, no entanto temos um só pastor.
Nossa tarefa não é empenhar-nos para criar a unidade cristã, mas sim reconhecê-la, aceitar Cristo e ser dirigidos na mente e no coração por seu amor. A unidade deriva de nossa fé em um só Senhor e Salvador.
Uma das mensagens que a celebração da ceia do Senhor nos transmite é a mensagem da comunhão, por isso chamamos esta celebração de Santa Comunhão. Pois nela nos reunimos como família de Deus para celebrar a morte de Jesus Cristo que nos uniu formando a igreja.
O apóstolo Paulo nos recomenda o auto exame para participar deste memorial. Acredito que esta recomendação paulina vai além de um exame moral e ético. O exame que o apóstolo propõem é o exame da unidade. Ele diz: ”Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do SENHOR” (1Co 11.29). Quem é hoje o corpo do Senhor? É a igreja, ou seja, nós. Ainda no capítulo 11 Paulo cita algumas atitudes dos cristãos de coríntios que revelam que eles não estavam vivendo em unidade.
O sucesso e o fracasso de uma igreja vai depender da sua unidade. A celebração da Ceia do Senhor tem também o objetivo de nos fazer refletir sobre a unidade do corpo de Cristo.
Como está a sua convivência com aqueles que você chama de irmãos? Você pode dizer que tem comunhão com eles? Quantos dias na semana você dedica a convivência com os irmãos da igreja do Senhor?
Não perca o foco de uma vida cristã autentica: Somos igreja quando temos unidade.
Do Vosso Amigo e Pastor, Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 06 de Novembro de 2011

Uma flor no Jardim de Deus

Na Assembléia da Convenção Batista Brasileira, realizada na cidade de Goiânia, GO em 1998, foi encaminhada, através da comissão de Assuntos Especiais, uma proposta que foi aprovada, para se comemorar no primeiro domingo de Março de cada ano, o Dia da Esposa de Pastor.
Sou suspeito em falar da importância desta data para mim, contudo não posso deixar de declarar a felicidade que tenho de ter Sandra como minha esposa, amiga e pastora. Como esposa, Sandra me acompanha há sete anos, e como auxiliar no ministério pastoral quase três anos. Tenho percebido que esta mulher é muito mais que uma Esposa de Pastor, ela é uma Pastora. Acredito que o dom de pastorear como o apóstolo Paulo descreveu em Efésios 4: 11 "E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores," não está restrito ao sexo masculino, pois “Nisto (...) não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gálatas 3: 28).
Vejo nesta mulher de Deus características essências para o ministério pastoral que posso chamar de Pastoral de “uns aos outros”. A Bíblia nos ensina em várias passagens: “Suportando-vos uns aos outros” (Efésios 4: 2) “Perdoando-vos uns aos outros" (Efésios 4: 32) "Sujeitando-vos uns aos." (Efésios 5: 21) "Não mintais uns aos outros" (Colossenses 3: 9) “Ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros." (Colossenses 3: 16) “Ameis uns aos outros;" (I Tessalonicenses 4: 9) "Consolai-vos uns aos outros." (I Tessalonicenses 4: 18) "Exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros." (I Tessalonicenses 5: 11) "E consideremo-nos uns aos outros." (Hebreus 10: 24) "Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros." (Tiago 5: 16) "Saudai-vos uns aos outros com ósculo de amor." (I Pedro 5: 14).
Louvado seja o Senhor que neste lindo Jardim de Deus, a MISSÃO CIDADE BATISTA, nosso Senhor colocou uma linda flor Sandra Maria Delfiaki de Oliveira, que todos nós possamos cuidar e cultivar esta flor para que dela exale ainda mais um excelente perfume de Cristo.
Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 06 de Março de 2011

MÊS DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

A Escola Bíblica Dominical é uma das principais agências de desenvolvimento e estudo da Bíblia. Oferece educação cristã para todas as idades, embora, existam outras organizações na igreja que também promovem esta instrução; mas é a Escola Bíblica Dominical que envolve maior número de pessoas ao mesmo tempo.
Em 19 de agosto de 1855 em Petrópolis, Rio de Janeiro, um casal de missionários dera inicio a primeira Escola Bíblica Dominical no Brasil, o pastor e médico Dr. Robert Reid Kalley e sua esposa Sarah P. Kalley com uma classe de cinco crianças.
Passados 156 anos de existência da estrutura chamada Escola Bíblica Dominical, o que vejo hoje não é satisfatório. Tanto o Jornalista Robert Raikes na Inglaterra, quanto o Dr. Robert Reid kalley e sua esposa não poderiam imaginar como este movimento iniciado por eles seria hoje abandonado por muitas igrejas evangélicas.
Talvez a razão desta realidade seja as mudanças da pós-modernidade, onde uma das marcas são as subjetividades individuais, que prega uma liberdade da tutela das instituições sociais, religiosas etc. Com isso surge o mercado evangélico, onde cada evangélico cria seu próprio cristianismo formando a torre de Babel do século XXI.
Parece que vivemos numa anarquia religiosa, pois onde não há rei, cada um faz o que é certo aos seus próprios olhos.
O que um ministério de educação cristã, bem estruturado em uma igreja batista pode contribuir em meio a este mundo das múltiplas idéias? Onde devemos começar nossas reflexões sobre a educação cristã? O ponto crucial são nossas predisposições. O que para nós significa ser cristão? Crer em certas coisas? Ter certos valores morais? Comportar-se de certa maneira? Ou há algo, além disso, alguma essência que defina o que somos?
Neste mês refletiremos sobre a importância da Escola Bíblica Dominical e o que podemos fazer para organizar-la melhor, na nossa igreja.

Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 03 de Abril de 2011

CRISTÃOS INTEGRAIS

Recebi na caixa do meu e-mail um debate sobre ministério pastoral integral e parcial, do grupo mensageiros da paz. Alguns pastores e líderes eclesiásticos debatiam sobre o ministério de tempo integral e parcial na igreja Batista. Pelo que percebi boa parte defendia que a realidade hoje no meio Batista permite na maioria das vezes o ministério pastoral parcial. Na mentalidade de muitos, ministério pastoral parcial é servir a igreja quartas e domingos. Este debate me fez pensar sobre o ministério de ser cristão. Abaixo segue uma história que nos faz pensar sobre este assunto:
Quando Sundar Singh, um célebre cristão indiano, viajava com seu guia, pelo Himalaia, foi atingido por violenta tempestade de neve. Arrastando-se pelo caminho, ele e seu companheiro tropeçaram num homem semi coberto pela neve. O guia insistiu para que prosseguissem dizendo que ao socorrer a vítima poriam em perigo a sua própria segurança.
Enquanto o guia prosseguiu sozinho, Sundar ergueu aquele corpo inconsciente aos ombros e enfrentou a tempestade, parecendo estar em desvantagem. Assim que a noite caiu, a boca de uma caverna se abriu à frente, numa promessa de descanso seguro. Sundar, então, que se conservava aquecido pela carga extra que carregou, tropeçou no corpo gelado do seu guia.
De acordo com o sentido do texto acima, a grande missão de nosso Senhor é a missão de cada cristão com relação aos outros. Embora não estejamos no serviço cristão por tempo integral, temos de ser cristãos integrais.
Muitos cristãos se enganam que para servir a Deus com qualidade precisam servi-lo por tempo integral. Alguns prometem para si mesmos que quando tiverem mais tempo servirão a Deus com mais compromisso. Infelizmente esta é uma doce ilusão, pois o tempo passa e muitos perdem a oportunidade de servir ao Senhor.
Quem não está disposto a ser cristão integral perderá o combustível da fé, que é servir os outros. Assim como na história acima citada, durante a peregrinação nesta vida esfriaremos, com isso a nossa fé morrerá. Para que a sua fé continue viva e aquecida não esqueça do combustível cristão que é ser cristão integral, ou seja, sem interrupção, em todos os momentos, 24 horas seguindo o mestre Jesus.

Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto
Rio de Janeiro, 02 de Outubro de 2011

NOVO MISSIONÁRIO DA PRIMEIRA IGREJA BATISTA DE CAMPO GRANDE

Na assembléia geral ordinária da Primeira Igreja Batista de Campo Grande, no dia 20/04/2011, nesta quarta-feira foi aprovado à contratação do Pastor Emmanuel Rodrigues de Oliveira Neto para ser o diretor da Missão Cidade Batista.
Agradecemos à missionária Catia Villaça diretora executiva da Junta de Ação Social Carioca que nos indicou para o Pastor Carlos Elias de S. Santos.
Agradecemos ao Pastor Carlos Elias de S. Santos, que nos acolheu e nos recebeu como pastores da missão mesmo antes de sermos membros da igreja.
Agradeço a vida da minha esposa que foi coluna para meu ministério, em vários momentos que pensei desistir do desafio.
Agradecemos a todos os irmãos e amigos da Missão Cidade Batista que contribuirão com seu amor, carinho, trabalho, dons e bens para que este momento fosse conquistado.
Agradecemos ao irmão Claudenir que durante o período de Fevereiro a Abril 2011 ficou como diretor da missão enquanto o processo de contratação missionária do Pastor Emmanuel estava se resolvendo.
Agradecemos a vida do Pastor Elber Macharetti, amigo desde época de seminário, que mal assumiu o ministério de Evangelismo e Missões, contribuiu para que esta contratação fosse efetivada ainda na assembléia deste mês de Abril.
Agradecemos aos irmãos de outras igrejas que tem se unido a nós na propagação de evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo nesta localidade.
Agradecemos a Deus que em 2008 nos permitiu morar no condomínio Horácio Camargo, localizado na estada dos Caboclos. E certo dia passeando pelo bairro Bosque dos Caboclos, oramos ao Senhor pedindo-lhe que nos desse à oportunidade de fazer parte de um trabalho missionário para plantar uma igreja naquela localidade. E o Senhor nos ouviu. Glória somente a ELE! Amém.

Dos vossos missionários Emmanuel Neto & Sandra Delfiaki
Rio de Janeiro, 01 de Maio de 2011

terça-feira, 30 de agosto de 2011

LIÇÃO 11: A PURIFICAÇÃO DO TEMPLO.

TEXTO: JOÃO 2.12-25.

Introdução:

Depois duma breve visita a Cafarnaum – possivelmente a sua primeira – Jesus subiu a Jerusalém para assistir à páscoa. Dentro do pátio do próprio Templo encontravam-se exercendo sua negócio execrável, os traficantes de animais para sacrifícios e suas manadas, também os cambistas que, a taxas exorbitantes, trocavam o dinheiro corrente das províncias pelo siclo (dinheiro) do Santuário com que pagavam impostos do Templo. Ressentido profundamente por causa dessa profanação da Casa de seu Pai, Jesus os expulsa, e eles vão covardemente abandonando o recinto.

I - JESUS PURIFICA O TEMPLO (Ler Versículos 12-22).

A primeira obra pública de Cristo, foi expulsar do templo os cambistas, onde os cobiçosos sacerdotes e dirigentes apoiavam para que convertessem em mercado os átrios do Senhor. Os que agora fazem da casa de Deus um mercado são os que têm suas mentes cheias com o interesse pelos negócios do mundo quando assistem aos exercícios religiosos, ou os que desempenham ofícios divinos por amor a um lucro.
Tendo purificado o templo, Cristo deu um sinal aos que lhe pediram que provasse sua autoridade para agir: Anuncia sua morte pela maldade dos judeus. Destruam este templo. Eu permitirei que o destruam. Anuncia sua ressurreição por seu próprio poder: em três dias o levantarei. Cristo voltou à vida por seu poder. Os homens erram quando entendem literalmente a Palavra de Deus quando a mesma fala figuradamente. Quando Jesus ressuscitou dentre os mortos, seus discípulos lembraram que tinha falado isso. Muita ajuda a nosso entendimento da Palavra divina é que observemos o cumprimento das Escrituras.

II – ESTADA EM JERUSALÉM (Ler Versículos 23-25).

Nosso Senhor conhecia a todos os homens, sua natureza, suas disposições, seus afetos e suas intenções, de uma maneira que nós não conhecemos a ninguém, nem sequer a nós mesmos. Conhece seus astutos inimigos, e todos seus projetos secretos; a seus falsos amigos e seu verdadeiro caráter. Ele sabe quem são verdadeiramente seus, conhece sua retidão, e conhece suas fraquezas. Sabemos o que os homens fazem; Cristo sabe o que há neles, Ele prova seu coração. Cuidado com uma fé morta ou uma profissão de fé formal: Não se deve confiar nos professantes carnais e vazios, e não obstante que os homens se imponham a outros ou a si mesmos, não podem impor-se ao Deus que esquadrinha o coração.

Conclusão:

Cristo no inicio de seu ministério purificou o Templo do Senhor, quando nosso Senhor inicia sua obra em nossas vidas Ele faz o mesmo purifica o Templo do Senhor que é o nosso corpo. Permita o Salvador fazer da sua vida um lugar de habitação agradável a Ele, pois desta forma seremos de fato Templo do Espírito Santo.

LIÇÃO 10: CANÁ DA GALILÉIA E O PRIMEIRO MILAGRE.

TEXTO: JOÃO 2.1-12

Introdução:

Nesta lição estudaremos sobre o primeiro milagre de Cristo realizado em Cana da Galiléia. A partir deste milagre Jesus inicia uma série de sinais comprovando que era o Messias.


I – “FAZEI TUDO QUANTO ELE VOS DISSER”.

É muito desejável que quando haja um matrimônio, Cristo o reconheça e o abençoe. Os que desejam ter a Cristo com eles em seu matrimônio devem convidá-lo por meio da oração e Ele virá. Havia uma necessidade na festa de bodas. Os que são dados a preocupar-se pelas coisas do mundo devem esperar problemas e contar com o desencanto. Quando falamos a Cristo devemos expor com humildade nosso caso ante Ele e, depois, encomendar-nos a Ele para que faça como lhe apraz.
Não houve desrespeito na resposta de Cristo a sua mãe. Usou a mesma palavra quando lhe falou com afeto desde a cruz, mas é testemunho presente contra a idolatria das épocas posteriores que rende honras indevidas a sua mãe.
Sua hora chega quando não sabemos que fazer. A demora da misericórdia não é uma negação das orações. Os que esperam os favores de Cristo devem obedecer suas ordens com prontidão. O caminho do dever é o caminho à misericórdia, e não se devem objetar os métodos de Cristo.

II - O PRIMEIRO MILAGRE DE CRISTO.

O primeiro dos milagres de Moisés foi converter água em sangue (Êx 7.20); o começo dos milagres de Cristo foi converter água em vinho, o qual pode fazer-nos lembrar a diferença que existe entre a lei de Moisés e o evangelho de Cristo. Ele demonstra que beneficia com consolos da criação a todos os crentes verdadeiros e que a eles converte em verdadeiro consolo. As obras de Cristo são todas para bem. Tem convertido tua água em vinho, te deu conhecimento e graça? É para aproveitá-lo; portanto, tira agora e usa dele. Era o melhor vinho. As obras de Cristo se recomendam por si mesmas ainda ante os que não conhecem a seu Autor. O que é produzido por milagre sempre tem sido o melhor de seu tipo. Embora com isto Cristo permite o uso correto do vinho, não anula sua advertência de que nossos corações, em momento nenhum devem carregar-se com glutonaria ou embriaguez (Lc 21.34). Apesar de que não temos de ser melindrosos para festejar com nossas amizades em ocasiões apropriadas, de todos modos, toda reunião social deve realizar-se de modo tal que possamos convidar o Redentor a participar.

Conclusão:

No Oriente, por ocasião, de um casamento até um homem podre pode hospedar muitos convidados. A falta de manjares, que não precisam ser dispensados traz humilhação à pessoa que hospeda. Jesus poupou a seus amigos essa situação embaraçosa. O vinho realmente havia se esgotado, mas ele fez da água nas talhas outro vinho excelente, isto ele pode fazer na sua vida também transformar o lamento em festa.

LIÇÃO 09: OS PRIMEIROS DISCÍPULOS E O MESSIAS

TEXTO: JOÃO 1.35-51

Introdução:

Jesus voltou ao lugar de seu batismo onde João continuava a trabalhar. Alguns dos discípulos de João Batista, orientados pelo testemunho deste, seguiram a Jesus. Aos dois, André e um outro possivelmente João, associaram-se Pedro, Filipe e Natanel. Encontramos o Messias, disseram André e Simão. Os israelitas entendiam o que significava esta declaração.

I - O CORDEIRO DE DEUS DEVE SER SEGUIDO (Ler Versículos 35-42).

O argumento mais forte e dominante de uma alma vivificada para seguir a Cristo é que Ele é o único que tira o pecado. Qualquer seja a comunhão que exista entre nossas almas e Cristo, Ele é quem começa a conversação. Perguntou, "Que buscam?" A pergunta que lhes faz Jesus é a que deveríamos fazer-nos a todos quando começamos a segui-lo: que queremos e que desejamos? Ao seguir a Cristo, buscamos o favor de Deus e a vida eterna? Os convida a acudir sem demora. Agora é o tempo aceitável (2 Co 6.2). Bom é para nós estar onde esteja Cristo, onde quer que seja.
Devemos trabalhar pelo bem-estar espiritual de nossos parentes, e procurar levá-los a Ele. Os que vão a Cristo devem ir com a resolução fixa de ser firmes e constantes nEle, como pedra, sólida e firme; e é por sua graça que são assim.

II – ENCONTRAMOS O MESSIAS (Ler Versículos 43-51).

Veja a natureza do cristianismo verdadeiro: seguir a Jesus, dedicar-nos a Ele e seguir suas pegadas. Olhem para a objeção que fez Natanael. Todos os que desejam aproveitar a palavra de Deus devem cuidar-se dos prejuízos contra lugares ou denominações dos homens. Devem examinar-se por si mesmos e, às vezes, acharão o bem onde não o procuraram. Muita gente se mantém fora dos caminhos da religião pelos prejuízos irracionais que concebem. A melhor maneira de eliminar as falsas noções da religião é julgá-la.
Não havia engano em Natanael. Sua profissão de fé não era hipócrita. Não era um simulador nem desonesto; tinha um caráter sadio, um homem realmente reto e piedoso. Cristo sabe, sem dúvida, o que são os homens. Procuremos e oremos para sermos um verdadeiro israelita no qual não há engano, cristãos verdadeiramente aprovados pelo próprio Cristo. Algumas coisas débeis, imperfeitas e pecaminosas encontram-se em todos, mas a hipocrisia não corresponde ao caráter do crente. Jesus deu testemunho do que aconteceu quando Natanael estava embaixo da figueira. Provavelmente, então, estavam orando com fervor, buscando direção acerca da Esperança e do Consolo de Israel, onde nenhum olho humano viu. Isto demonstrou que nosso Senhor conhecia os segredos de seu coração, pois Ele é o Messias esperado!

Conclusão:

O Messias era a esperança dos judeus da mesma forma que para os drusos (tribos da Síria) e para o islame (os maometanos), como são El-Hadi e El-Madi, respectivamente, nomes estes derivados da mesma raiz, como idéia fundamental de guiar, significando o bem dirigido. Entretanto, com maior ansiedade, Israel esperava a vinda do Ungido. Já o havendo encontrado, talvez os discípulos voltassem às suas ocupações cotidianas, todavia quando o Mestre os chamou encontrou-os prontos para deixar tudo e segui-lo.

LIÇÃO 08: INÍCIO DO MINISTÉRIO DO SENHOR JESUS CRISTO. TEXTO BASE: MATEUS 3.13-17; 4.1-17.

OUTROS TEXTOS: MC 1.9-11; LC 3.21-23 E JO 1.15-34.

Introdução:

No auge da sua fama, João um dia ergueu suas mãos e dirigindo-se a todos exclamou: Eis aí o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Jesus tinha vindo, fora batizado por João que, reconhecendo o Mestre, deu-lhe primazia: daí por diante, com humildade tomou o segundo lugar. Aquele que viera ao rio como “o carpinteiro” saiu das águas como Messias, e a voz de Deus proclamou dos céus, “Este é o meu filho amado em que me comprazo”.

I – BATISMO DE JESUS (Mt 3.13-17).

As condescendências da graça de Cristo são tão maravilhosas que ainda os crentes mais firmes podem apenas acreditar nelas no princípio; tão profundas e misteriosas que ainda os que conhecem bem sua mente estão prontos a oferecer objeções contra a vontade de Cristo. Os que têm muito do Espírito de Deus, enquanto estão aqui vêem que necessitam pedir mais de Cristo. João Não nega que tinha necessidade de ser batizado por Jesus, contudo o Salvador declara que deve ser batizado por João. Cristo está agora em estado de humilhação. Nosso Senhor Jesus considerou conveniente, para cumprir toda justiça, apropriar-se de cada instituição divina, e mostrar sua disposição para cumprir com todos os preceitos justos de Deus.
Em Cristo e por meio dEle, os céus estão abertos para os filhos dos homens. Esta descida do Espírito sobre Cristo demonstra que estava dotado sem medida do poder de Deus.
No batismo de Cristo houve uma manifestação das três Pessoas da Santa Trindade. O Pai confirmando o Filho como Mediador; o Filho que solenemente se encarrega da obra; o Espírito Santo que desce sobre Ele para ser comunicado ao povo por seu intermédio. NEle são aceitáveis nossos sacrifícios espirituais, porque Ele é o altar que santifica todo dom (1Pedro 2.5). Fora de Cristo, Deus é fogo consumidor; em Cristo, um Pai reconciliado. Este é o resumo do evangelho, o qual devemos abraçar jubilosamente pela fé.

II – TENTAÇÃO NO DESERTO (Ler Mt 4.1-11).

Com referência à tentação de Cristo, observe-se que foi tentado imediatamente depois de ser declarado Filho de Deus e Salvador do mundo; os grandes privilégios e os sinais especiais do favor divino não asseguram a ninguém que não será tentado. Mas se o Espírito Santo dá testemunho de que temos sido adotados como filhos de Deus, isso responderá todas as sugestões do espírito mau.
Cristo foi levado pelo Espírito Santo ao combate. Se fizermos ostentação de nossa própria força, e desafiarmos o diabo a tentar-nos, poderemos ficar sem a força de Deus. Outros são tentados, quando são desviados por sua própria concupiscência, e são seduzidos (Tiago 1.14); porém nosso Senhor Jesus não tinha natureza corrupta, portanto Ele foi tentado somente pelo diabo. Manifesta-se na tentação de Cristo que nosso inimigo é sutil, mal-intencionado e muito atrevido, mas podemos resisti-lo. Consolo para nós é o fato de que Cristo sofreu sendo tentado, pois, assim, se manifesta que nossas tentações, enquanto não cedamos a elas, não são pecado e são somente aflições. Em todas suas tentações, Satanás atacava para que Cristo pecasse contra Deus.
1) O tentou a desacreditar da bondade de seu Pai, e a desconfiar do cuidado de seu Pai. Uma das tretas de Satanás é tirar vantagem de nossa condição externa; e os que são colocados em apertos devem duplicar sua guarda. Cristo respondeu todas as tentações de Satanás com uma frase "Está escrito", para dar-nos o exemplo a basear nossas vidas ao que está escrito na Bíblia. Nós devemos adotar este método cada vez que formos tentados a pecar. Aprendamos a não seguir rumos errados a nossa provisão, quando nossas necessidades são sempre tão urgentes: o Senhor proverá de uma ou de outra forma.
2) Satanás tentou Cristo a que presumisse do poder e proteção de seu Pai em matéria de seguridade. Não há extremos mais perigosos que o desespero e a presunção, especialmente no que diz respeito aos assuntos de nossa alma. Satanás não objeta lugares sagrados como cenário de seus assaltos. Não baixemos a guarda em lugar nenhum. A cidade santa é o lugar onde, com a maior vantagem, tenta aos homens ao orgulho e à presunção. Todos os elevados são lugares escorregadios; o avanço no mundo faz do homem um alvo para que Satanás dispare suas setas de fogo. Satanás está tão bem versado nas Escrituras que é capaz de citá-las facilmente? Sim, ele está. É possível que um homem tenha sua cabeça cheia de noções das Escrituras, e sua boca cheia de expressões das Escrituras, enquanto seu coração está cheio de forte inimizade contra Deus e contra toda bondade. Satanás citou mal as palavras. Se nós sairmos de nosso caminho, fora da senda de nosso dever, abandonamos a promessa e nos colocamos fora da proteção de Deus.
3) Satanás tentou a Cristo na idolatria com o oferecimento dos reinos do mundo e a glória deles. A glória do mundo é a tentação mais encantadora para quem não pensa e não percebe; isto é o que mais facilmente vence aos homens. Cristo foi tentado a adorar Satanás. Rejeitou com aborrecimento a proposta. "Retire-se, Satanás!". Algumas tentações são abertamente más; e não são para serem simplesmente resistidas, senão para serem rejeitadas de imediato. Bom é ser rápido e firme para resistir a tentação. Se resistirmos o diabo, ele fugirá de nós. Mas a alma que delibera está quase vencida. Encontramos somente uns poucos que podem rejeitar resolutamente tais iscas, como as que oferece Satanás, embora de que aproveita a um homem se ganhar o mundo e perder sua alma? Cristo foi socorrido depois da tentação para estimulá-lo a continuar em seu esforço, e para estimular-nos a confiarmos nEle, porque soube, por experiência, o que é sofrer sendo tentado, de modo que sabia o que é ser socorrido na tentação; portanto, podemos esperar não só que sinta por seu povo tentado, senão que venha com o oportuno socorro.

Conclusão (Ler Mt 4.12-17):

Após ouvir que João havia sido preso Jesus voltou para Galiléia. Justo é que Deus retire o evangelho e os meios de graça dos que os desprezam e os lançam de si. Cristo não ficará muito tempo onde não seja bem-vindo. Os que estão sem Cristo estão nas trevas. Estão instalados nessa condição, numa postura comprazida; a escolhem antes que a luz; são voluntariamente ignorantes. Quando chega o evangelho, vem a luz; quando este chega a qualquer parte, quando chega a uma alma, aí se faz o dia. A luz revela e dirige; assim o faz o evangelho.
A doutrina do arrependimento é boa doutrina do evangelho. Não somente o austero João Batista, senão o bondoso Jesus pregou o arrependimento. Ainda existe a mesma razão para fazê-lo assim.
Não se reconheceu por completo que o Reino dos Céus tinha chegado até a vinda do Espírito Santo, depois da ascensão de Cristo.

terça-feira, 26 de julho de 2011

LIÇÃO 7: PREPARAÇÃO DO MINISTÉRIO DE JESUS. TEXTO BASE: LUCAS 3.1-20.

Textos: MT 3.1-12; MC 1.1-8 E LC 3.1-20.

Introdução:

Quando Jesus tinha quase trinta anos, a terra surpreendeu-se com o aparecimento do profeta semelhante a Elias, vindo dos desertos meridionais. De aparência rude, vestido de trajes próprios ao deserto, nutrido de alimento parco, de espírito rígido, sustentado por anos de comunhão solitária com Deus, fervoroso em extremo, de ardente clareza de linguagem, ele abalou o país até os alicerces pela pregação do arrependimento. À beira do Jordão, rodeava-o grande multidão, extraordinariamente mista, como: homens rudes de Basã, pastores do campos de Gileade, camponeses dos férteis vales ocidentais, pescadores da Galiléia, negociantes, cambistas, publicanos, soldados, fariseus e sacerdotes, todos chamados pela atração irresistível de um homem enviado de Deus, e muitos receberam o batismo de João.
I - A PREGAÇÃO DE JOÃO BATISTA (Ler Versículos 1-14)

O alcance e desígnio do ministério de João era levar o povo desde seus pecados a seu Salvador. Veio a pregar, não uma seita nem um partido político, senão uma profissão de fé; o sinal ou cerimônia era o lavamento com água. Pelas palavras aqui utilizadas, João pregou a necessidade do arrependimento para a remissão dos pecados, e que o batismo de água era um sinal externo da purificação interna e a renovação do coração que acompanha, ou são os efeitos do arrependimento verdadeiro e profissão de arrependimento. Aqui no ministério de João está o cumprimento das Escrituras (Isaias 40.3). Quando no com se faz caminho para o evangelho, abatendo os pensamentos altivos e levando-os à obediência de Cristo, aplanando a alma e eliminando tudo o que nos estorve do caminho de Cristo e de sua graça, então se efetuam os preparativos para dar as boas-vindas à salvação de Deus.
João deu aqui advertências e exortações gerais. A culpável raça corrupta da humanidade chegou a ser uma geração de víboras; odiavam a Deus e se odiavam uns a outros. Não há maneira de fugir da ira vindoura, senão pelo arrependimento, e a mudança de nossa conduta deve demonstrar a mudança de nossa mentalidade. Se não formos igualmente santos, de coração e de vida, nossa profissão de religião não nos servirá para nada; mais penosa será nossa destruição se não darmos frutos dignos de arrependimento.
João Batista deu instruções a várias classes de pessoas. Os que professam o arrependimento devem demonstrá-lo por sua transformação. O evangelho requer misericórdia, não sacrifício; e seu objetivo é comprometer-nos a fazer todo o bem que pudermos, e a sermos justos com todos os homens. O mesmo princípio que leva os homens a renunciar aos ganhos injustos, os leva a restaurar o lucrado em forma errada.
João indica seu dever aos soldados. Deve-se advertir aos homens contra as tentações de seus empregos. As respostas declaram o dever presente dos que perguntavam e, de imediato, se constituíam em uma prova de sua sinceridade. Como ninguém pode aceitar a salvação de Cristo sem arrependimento verdadeiro, ele mostra aqui a evidência e os efeitos do arrependimento.
II - CRISTO O BATIZADOR COM ESPÍRITO SANTO (Ler Versículos 15-20)

João Batista reconhece que não é o Cristo; mas confirma as expectativas do povo sobre a vinda do prometido Messias. Somente podia exortá-los a arrepender-se e assegurar o perdão pelo arrependimento, mas não podia operar o arrependimento neles nem conferi-lhes a remissão. Assim nos corresponde falar elevadamente de Cristo e humildemente de nós mesmos. João não podia fazer mais que batizar com água, como sinal de que deviam purificar-se e limpar-se, mas Cristo pode e quer batizar com o Espírito Santo; Ele pode dar o Espírito para que limpe e purifique o coração.

Conclusão:

João era um pregador afetuoso: suplicava, ia direto ao coração dos ouvintes. Era um pregador prático: os despertava para cumprir com seu dever e os dirigia a eles. Era um pregador popular: dirigia-se as pessoas segundo a capacidade deles. Era um pregador cristocêntrico: em todas suas exortações guiava a gente a Cristo. Foi um pregador abundante: não deixava de declarar todo o conselho de Deus, mas quando estava na metade de sua vida útil, foi dado um repentino final à pregação de João. Sendo Herodes, por suas muitas maldades, reprovado por ele, encarcerou a João. Os que fazem dano aos servos fiéis de Deus, agregam culpa maior ainda a seus outros pecados.

LIÇÃO 6: VISITA A JERUSALÉM E MOCIDADE EM NAZARÉ. LUCAS 2.41-52.

Introdução:

Aos doze anos, Jesus pela primeira vez foi a Jerusalém para assistir à páscoa. Enlevado na conversa com os doutores de Israel, ouvindo-os e interrogando-os, ele olvidava tudo mais.
Os peregrinos, voltando de Jerusalém para o norte, usualmente iniciam a viagem bem tarde, e como a 15 quilômetros de distância havia um lugar pitoresco perto de Betel, ali passavam a primeira noite. A tradição antiga diz que este é o lugar onde José e Maria sentiram falta de Jesus. Com que ansiedade e tristeza eles voltaram em busca dele, enquanto se lembravam das feras e bandidos cruéis que infestavam a região! Quando, enfim, o acharam no Templo, as primeiras palavras registradas dão a entender que José e Maria haviam esquecido dos acontecimentos não muito remotos que os deveriam ter preocupado sempre: Não sabíeis que eu devia estar na casa de meu Pai?

I – JESUS ENTRE OS DOUTORES (Ler Versículos 41-52).

Os pais de Jesus não voltaram até que tivessem permanecido os sete dias da festa. Bom é permanecer até o fim de uma ordenança como corresponde aos que dizem: Bom é estarmos aqui. Os que perderam suas consolações em Cristo, e as provas de que tinham parte nEle, devem refletir onde e quando e como as perderam, e devem voltar. Os que recuperem sua perdida familiaridade com Cristo devem ir ao lugar em que Ele tem colocado seu nome; ali podem esperar achá-lo.
Eles o acharam em alguma parte do templo, onde os doutores da lei tinham suas escolas; estava sentado ali, ouvindo sua instrução, apresentando perguntas e respondendo interrogantes, com tal sabedoria que os que o ouviam se deleitavam com Ele. As pessoas jovens devem procurar o conhecimento da verdade divina, assistir ao ministério do evangelho e fazer tais perguntas a seus anciãos e mestres que tendam a incrementar seu conhecimento.
Os que buscam a Cristo com choro, o acharão com o gozo maior. Não sabiam que devia ocupar-me dos negócios de meu Pai? Devo estar na casa de meu Pai; na obra de meu Pai; devo ocupar-me no negócio de meu Pai. Eis aqui um exemplo, pois convém aos filhos de Deus, de conformidade com Cristo, assistir o negócio de seu Pai celestial e fazer que todos os outros interesses lhe cedam o lugar.
Ainda que era o Filho de Deus, contudo, esteve submetido a seus pais terrenos; então, como responderão os filhos dos homens, fracos e néscios, que desobedecem a seus pais? Como seja que rejeitemos os ditados dos homens, porque são escuros, não devemos pensar assim dos ditados de Deus. O que ao princípio é escuro pode, depois, voltar-se claro e fácil. Os maiores e mais sábios, os mais eminentes, podem aprender deste admirável Menino Divino, que conhecer nosso lugar e ofício é a grandeza mais verdadeira da alma; para negar-nos as diversões e prazeres que não condizem com nosso estado e vocação.

Conclusão:

O capítulo dois de Lucas encerrasse com os anos da obscuridade da mocidade de Jesus em Nazaré, período este em que Jesus aprendeu a fazer os implementos necessários à lavaoura primitiva, onde aprendeu o ofício da carpintaria, neste período também se aplicou a Lei de Deus e se preparou para revelação de sua missão como Salvador do mundo.
Próxima lição. LIÇÃO 7: PREPARAÇÃO DO MINISTÉRIO DE JESUS. MT 3.1-12; MC 1.1-8 E LC 3.1-20.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

LIÇÃO 5: OS MAGOS.

MATEUS 2.1-23.

Introdução:

Os magos vieram do oriente procurando aquele nascido Reis dos Judeus, cuja estrela viram e seguiram. Devido a muitas indagações que estes fizeram em Jerusalém, despertaram suspeitas em Herodes. Dirigidos a Belém, vieram ao lugar “onde estava o menino”, e com nobres salamaleques do oriente, ofertam-lhe ouro, incenso e mirra – dádivas reais feitas em homenagem àquele que nascera para reinar.

I – VISITA DOS MAGOS (Ler Versículos 1-12).

Os que vivem completamente afastados dos meios de graça costumam usar a máxima diligência para conhecer o máximo de Cristo e de sua salvação. Porém, nenhuma arte da curiosidade nem o puro aprendizado humano podem levar os homens até Ele. Devemos aprender de Cristo atentando à palavra de Deus, como luz que brilha num lugar escuro, e buscando o ensino do Espírito Santo. Aqueles em cujo coração se levanta a estrela da manhã, para dar-lhes o necessário conhecimento de Cristo, fazem de sua adoração sua atividade preferencial.
Embora Herodes era muito velho, e nunca tinha demonstrado afeto pela sua família, e era improvável que vivesse até que o recém-nascido chegasse à idade adulta, começou a turbar-se com o temor de um rival. Não compreendeu a natureza espiritual do reino do Messias. Cuidamo-nos da fé morta. O homem pode estar persuadido de muitas verdades e mesmo assim não praticá-las, pois a sua natureza pecaminosa interfere com as suas escolhas.
Quanto gozo sentiram estes sábios ao ver a estrela, ninguém o sabe tão bem quanto aqueles que, depois de uma longa e triste noite de tentação e abandono sob o poder de um espírito de escravidão, finalmente recebem o Espírito de adoção, dando testemunho a seus espíritos de que são filhos de Deus. Podemos pensar que desilusão foi para eles quando encontraram que uma barraca era seu palácio, e sua própria e coitada mãe era a única servidão que tinha. Contudo, estes magos não se acreditaram impedidos, pois tendo achado o Rei que buscavam, lhe ofereceram seus presentes. Quem procura humildemente a Cristo não tropeçará se achar Ele e seus discípulos em casebres escuros, depois de tê-los procurado em vão nos palácios e cidades populosas. Há uma alma ocupada em buscar a Cristo? Quererá adorá-lo e dizer "sim!, eu sou uma criatura pobre e néscia e nada tenho a oferecer? Nada!" Não tem coração, ainda que indigno dEle, escuro, duro e néscio? Entregue-o a Ele tal como é, e se prepare para que Ele o use e dispunha dele como lhe apraz; Ele o tomará e o fará melhor, e nunca te arrependerás de ter agido assim. Ele o moldará a sua semelhança, e Ele mesmo se entregará a você e será seu para sempre.
Os presentes dos magos eram ouro, incenso e mirra. A providência os enviou como socorro oportuno para José e Maria em sua atual condição de pobreza. Assim nosso Pai celestial, que conhece o que necessitam seus filhos, usa a alguns como mordomos para suprir as necessidades dos outros e provê-los ainda desde os confins da terra

II – FUGA PARA O EGITO E MASSACRE DOS INOCENTES (Ler Versículos 13-18).

O Egito tinha sido um lar de escravidão para Israel, e particularmente cruel para as crianças de Israel; mais será um lugar de refúgio para o santo menino Jesus. Quando a Deus lhe apraz, pode fazer com que o pior dos lugares sirva para o melhor dos propósitos. Esta foi uma prova de fé para José e Maria. Mas a fé deles, sendo provada, foi achada firme. Se nós e nossos filhos estivermos em problemas em qualquer tempo, lembremos as dificuldades em que esteve Cristo quando era um menino.
Herodes matou os meninos varões, não somente de Belém, senão de todas as aldeias dessa cidade. A ira desenfreada, armada com um poder ilícito, frequentemente leva os homens a crueldades absurdas. Não foi coisa injusta que Deus permitisse isto; cada vida é entregue a sua justiça tão logo quando começa. As doenças e as mortes dos pequenos são prova do pecado original. Mas o assassinato destas crianças foi seu martírio. Que cedo começou a perseguição contra Cristo e seu reinado! Herodes acreditava ter destruído as profecias do Antigo Testamento, e os esforços dos magos para acharem Cristo; mas o conselho do Senhor permanecerá, por astutas e cruéis que sejam as artimanhas do coração dos homens.

Conclusão:

O Egito pode servir por um tempo como estadia ou refúgio, mas não para viver para sempre. Cristo foi enviado às ovelhas perdidas da casa de Israel, e a elas deve retornar. Se olharmos o mundo como o nosso Egito, o lugar de nossa escravidão e exílio, e o céu como a nossa Canaã, nosso lar, nosso repouso, deveremos levantar-nos logo e partir daqui quando sejamos chamados, como José quando saiu do Egito.
A família deve estabelecer-se na Galiléia. Nazaré era lugar tido em pobre estimação, e Cristo foi crucificado sob esta acusação, Jesus Nazareno. Onde quer que nos indique a providência os limites de nossa habitação, devemos esperar compartir a admoestação de Cristo; embora possamos gloriar-nos de sermos chamados por seu nome, seguros de que, se sofremos com Ele, também seremos glorificados com Ele.

Próxima lição: LIÇÃO 6: VISITA A JERUSALÉM. LUCAS 2.41-51

LIÇÃO 4: O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO. VIAGEM PARA BELÉM, ANJOS E PASTORES. PARTE II.

LUCAS 2.1-40.

II – CIRCUNCISÃO DE JESUS E APRESENTAÇÃO NO TEMPLO (Ler Versículos 21-24).

Nosso Senhor Jesus não nasceu em pecado e não necessitou a mortificação de uma natureza corrupta ou a renovação para santidade, portanto em não necessitava de ser circuncidado, contudo esta ordenança foi cumprida, em seu caso, para que obediência perfeita de toda a lei, fosse vista e imitada.
No final dos quarenta dias, Maria foi ao templo para oferecer os sacrifícios estabelecidos para sua purificação. José apresenta também o santo menino Jesus, porque como primogênito, devia ser apresentado ao Senhor, e ser remido conforme a lei. Apresentemos nossos filhos ao Senhor, rogando-lhe que os resgate do pecado e da morte, e os faça santos para Ele.

III – O CÂNTICO DE SIMEÃO (Ler Versículos 25-35).

O mesmo Espírito que proveu para sustentar a esperança de Simeão, proveu para seu gozo. Os que desejam ver a Cristo devem ir a seu templo. Eis aqui uma confissão de sua fé, que o Menino que tem nos braços era o Salvador. Quão pobre lhe parece este mundo ao que tem a Cristo em seus braços, e a salvação à vista! Aparece aqui quão consoladora é a morte de um homem de Deus; vai-se em paz com Deus, em paz com sua consciência, em paz com a morte. Os que deram as boas-vindas a Cristo, podem dar as boas-vindas à morte sem medo algum.
José e Maria se maravilhavam ante as coisas que se diziam do Menino. Simeão lhes mostra igualmente quanta razão tinham para regozijar-se com tremor. Ainda se fala contra Jesus, sua doutrina e seu povo; ainda se nega e se blasfema sua verdade e sua santidade; sua palavra pregada continua sendo a pedra de toque do caráter dos homens. Os bons afetos secretos das mentes de alguns serão revelados ao abraçar a Cristo; as corrupções secretas dos outros serão reveladas por sua inimizade com Cristo. Os homens serão julgados pelos pensamentos de seus corações em relação a Cristo.

IV – A PROFECIA DE ANA E VIDA OCULTA DE JESUS EM NAZARÉ (Ler Versículos 36-40).

Ana, a profetisa sempre estava ali ou, pelo menos ia ao templo. Estava sim sempre em espírito de oração; entregava-se à oração e em todas as coisas servia a Deus. Aqueles aos que Cristo se dá a conhecer, têm muitos motivos para dar graças ao Senhor. Ela ensinava aos outros acerca dEle. Que o exemplo dos santos, Simeão e Ana, inspirem àqueles cujas cabeças brancas, como as deles, são coroa de glória. Os lábios que logo se silenciarão no túmulo, devem dar louvores ao Redentor. Era o que fazia Ana.
Em todas as coisas conveio a Cristo ser feito semelhante a seus irmãos, portanto, passou a infância e a meninice como as outras crianças, porém sem pecado e com provas evidentes da natureza divina nEle. Pelo Espírito de Deus todas suas faculdades desempenharam os ofícios de uma forma não vista em mais ninguém. Outras crianças têm abundante torpeza em seus corações, o que se adverte no que dizem ou fazem, mas Ele estava cheio de sabedoria pelo poder do Espírito Santo; tudo o que disse ou fez foi dito e feito sabiamente, por acima de sua idade.

Próxima lição: LIÇÃO 5: OS MAGOS. MATEUS 2.1-23.

LIÇÃO 4: O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO. VIAGEM PARA BELÉM, ANJOS E PASTORES.

LUCAS 2.1-40.

Introdução:

A plenitude do tempo estava agora para chegar, quando Deus enviaria seu Filho, nascido de mulher e submetido à lei. As circunstâncias de seu nascimento foram muito vis. Cristo nasceu numa alojamento; veio ao mundo para ficar por um tempo. A realidade do infante Jesus num alojamento, nos ensina algo profundo sobre a nossa vida: O pecado nos faz como um infante abandonado, indefeso e solitáro. Cristo soube bem o que é ser rejeitado num alojamento, e nascer em condições adversas.
Enquanto o Filho de Deus nasceu nestas condições, muitos de nós desejamos ter nossos filhos em berços explendidos; quão dados são os pobres a invejar o rico, e quanto tendem os ricos a desprezar os pobres. Mas quando pela fé vemos o Filho de Deus que é feito homem e jaz numa manjedoura, nossa vaidade, ambição e inveja são freadas. Não podemos buscar coisas luxuosas para nós mesmos ou para nossos filhos tendo este exemplo de Cristo diante de nós.

I – O RECENSEAMENTO (Ler Versículos 1-5).

Herodes. O Grande reinava na Palestina, revestido do poder real, pelo imperador Augusto. Sendo este idumeu de nascença e de natureza cruel e astuciosa, os judeus odiavam-no. Contudo, atrás do estandarte de Herodes reluzia o esplendor das águias romanas. Por isso decretendo-se o alistamento geral dos habitantes do império, foi o mesmo efetuado em todo domínio de Herodes.
Se há alguma honra ou vantagem inerente ao costume, os orientais cuidadosamente conservam no lugar do seu nascimento a sua cidadania. O cristão nascido em Nazaré, onde quer que morra, orgulhosamente manterá na cidade da meninice do seu Salvador a sua cotação civil, e ufanar-se-à de ser chamado nazareno. José, esposo de Maria e carpinteiro em Nazaré, era natural de Belém.
Depois de uma viagem de 160 quilômetros aproximadamente, encontramo-los buscando em vão, lugar na hospedaria já superlotada, mas gratos pelo menos por compartilhar do abrigo preparado para os animais de carga. A estalagem oriental, ou Khân é construída em forma de quadrado ao redor de um pátio com arcadas na parte de dentro e por cima das arcadas ficavam os aposentos, aos quais se tem acesso por escada de pedra. Esses aposentos são para os viajantes e a arcada embaixo, para os animais.

II – ANJOS E PASTORES (Ler Versículos 6-20).

Os anjos foram arautos do recém-nascido Salvador, mas foram enviados somente a uns pastores pobres, humildes, piedosos, trabalhadores, que estavam ocupados em sua vocação, vigiando seus rebanhos. Não estamos fora do caminho das visitas divinas quando estamos empregados em uma vocação honesta diante de Deus.
Os pastores não perderam tempo; partiram pressurosos para o lugar. Ficaram satisfeitos e deram a conhecer por todas partes acerca deste menino, que era o Salvador, Cristo o Senhor.
Maria observa cuidadosamente e pensava em todas estas coisas, que eram tão boas para vivificar sua fé no Senhor.


CONTINUA NO DOMINGO DIA 10/07 A LIÇÃO 4: O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO. VIAGEM PARA BELÉM, ANJOS E PASTORES.
LUCAS 2.1-40.

LIÇÃO 2: NASCIMENTO DE JOÃO BATISTA

TEXTO: LUCAS 1.57-80

Introdução:

João, nascido em 6 ou 5 a.C., cuidadosamente educado na meninice, por seu pai Zacarias, passou no deserto os primeiros ano de sua mocidade. Entretanto, no Cântico de Zacarias a sua função estava indicada claramente. O menino havia de ser chamado profeta do Altíssimo, porque ele iria ante a face do Senhor para preparar os seus caminhos.


I - NASCIMENTO DE JOÃO BATISTA E CIRCUNCISÃO (Versículos 57-66).

Nestes versículos temos um relato do nascimento de João Batista, e do grande gozo de todos os familiares. Se chamaria João ou "cheio de graça", pois introduziria o evangelho de Cristo, no qual brilha mais a graça de Deus.
Zacarias recuperou a fala. A incredulidade fechou sua boca e ao crer voltou a ser aberta. Esta experiência o salmista também vivenciou quando disse: “Cri, por isso falei” (Sl 116.10). Quando Deus abre nossos lábios, as bocas devem mostrar seu louvor; e melhor é estar mudo que não usar a fala para louvar a Deus. Diz-se que a mão do Senhor estava operando em João. Deus tem formas especiais de operar nas crianças, na infância ELE age na vida de algumas delas, que nós não conseguimos entender. Devemos observar os tratos de Deus e esperar os acontecimentos.

II – O CÂNTICO DE ZACARIAS E VIDA OCULTA DE JOÃO BATISTA (Versículos 67-80).

Zacarias pronuncia uma profecia acerca do reino e a salvação do Messias. O Evangelho traz a luz de Deus para a humanidade. Em João Batista esta luz começou a nascer e foi aumentando até que o dia foi perfeito, ou seja quando Jesus encarnou. O evangelho ilumina as pessoas, porque traz: a) conhecimento; mostra aquilo no qual estávamos completamente em trevas; é para dar luz aos que se sentem a escuras, a luz do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo. O evangelho ilumina as pessoas, porque: b) Revive; traz luz aos que se sentam em sombra de morte, como prisioneiros condenados na masmorra. E o evangelho ilumina as pessoas, porque: c) Conduz, encaminha nossos passos pelo caminho da paz, a esse caminho que nos trará finalmente a paz (Rm 3.17). João deu provas de fé firme, afetos fortes e piedosos e de estar acima do medo e do amor pelo mundo. Assim, ele amadureceu para o serviço, mas levou uma vida retirada, até que se revelou, abertamente, como o precursor do Messias. Continuemos a paz com todos os homens, e procuremos a paz com Deus e com nossas próprias consciências. Se é a vontade de Deus que vivamos desconhecidos para o mundo, ainda assim busquemos diligentemente crescer firmes na graça de Jesus Cristo.


Conclusão:

O nascimento de João Batista foi uma expressão clara da misericórdia e do poder de Deus. Zacarias recupera a voz no momento da circuncisão de seu filho e profere um lindo cântico a Deus. O nascimento de João Batista foi cercado de muitas pessoas, porém a sua infância foi oculta. Quando adulto reapareceu proclamando a chegado do Messias. Como na vida de João, Deus pode nos retirar também por certo tempo, para depois nos chamar para cumprir sua missão.

Próxima lição: LIÇÃO 3: O NASCIMENTO DE JESUS ANUNCIADO A JOSÉ
TEXTO: MATEUS 1.18-25

LIÇÃO 1: MENSAGENS DE GABRIEL

TEXTO: LUCAS 1.5-56

Introdução:

Cerca de cinco anos antes do princípio da era cristã, um sacerdote idoso, cujo nome era Zacarias, estava no templo queimando incenso quando apareceu um anjo e lhe disse que havia de nascer um filho que, sendo cheio do Espírito Santo, iria adiante do Senhor, no Espírito e poder de Elias, a fim de preparar um povo para ele.
Alguns meses mais tarde, o anjo anunciou a uma jovem de Nazaré que, pelo poder do Altíssimo, ela daria à luz um filho cujo nome havia de ser Jesus, o Filho de Deus. Nada duvidando, Maria visitou na região montanhosa de Judá, sua prima Isabel, esposa de Zacarias. Ali se regozijaram juntas as duas mulheres, e Maria, por meio dum cântico de maravilhosa elevação, dignidade e beleza, engrandeceu a Deus.

I- ANÚNCIO DO NASCIMENTO DE JOÃO BATISTA (Ler versículos 5-25).

O pai e a mãe de Jesus Cristo eram pecadores como todos somos e foram justificados e salvos da mesma forma que os outros, mas foram eminentes por sua piedade e integridade. Não tinham filhos, e não podia esperar que Isabel os tivesse em sua avançada idade.
Enquanto Zacarias queimava o incenso no templo, toda a multidão orava fora. Todas as orações que oferecemos a Deus são aceitas e bem sucedidas somente pela intercessão de Cristo.
As orações que Zacarias oferecia frequentemente receberam uma resposta de paz. As orações de fé são arquivadas no céu e não são esquecidas. As orações feitas quando éramos jovens, quando entravamos no mundo, podem ser respondidas quando sejamos velhos e estejamos saindo do mundo. As misericórdias são duplamente doces quando são dadas como respostas à oração.
Zacarias terá um filho em idade avançada, o qual será instrumento para a conversão de muitas almas a Deus, e para sua preparação para receber o evangelho de Cristo. Se apresentará ante Ele com coragem, zelo, santidade e uma mente morta aos interesses e prazeres mundanos. Os desobedientes e os rebeldes seriam convertidos à sabedoria de seus antepassados justos, ou melhor, levados a atentar à sabedoria do Justo que viria a eles.
Zacarias ouviu tudo o que disse o anjo, mas falou com incredulidade. Deus o tratou justamente ao deixá-lo mudo, pois ele tinha objetado a palavra de Deus. Podemos admirar a paciência de Deus para conosco. Deus o tratou amavelmente, porque assim lhe impediu de falar mais coisas afastadas da fé e com incredulidade. Assim, também, Deus confirmou sua fé. Se pelas repreensões a que estamos submetidos por nosso pecado, somos guiados a dar mais crédito à palavra de Deus, não temos razão para queixar-nos. Os crentes verdadeiros as vezes são dados a desonrar a Deus com incredulidade; e suas bocas são fechadas com silêncio e confissão, quando pelo contrário, teriam que estar louvando a Deus com gozo e gratidão.

II- A ANUNCIAÇÃO (Ler versículos 26-38).

Aqui temos um relato da mãe de nosso Senhor; embora não devamos orar a ela, de todos modos devemos louvar a Deus por ela. Cristo devia nascer miraculosamente. A própria sandação do anjo atesta o louvor a Deus por Maria: "Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres." (Lc 1.28)
Esta aparição e saudação prodigiosas atordoaram a Maria. O anjo lhe assegurou então que ela tinha achado favor com Deus e que seria a mãe de um filho cujo nome ela devia chamar de Jesus, o Filho do Altíssimo, um em natureza e perfeição com o Senhor Deus. Jesus! o nome que refresca os espíritos desfalecentes dos pecadores humilhados; doce para pronunciar e doce para ouvir, Jesus, o Salvador.
A resposta de Maria ao anjo foi a linguagem da fé e humilde admiração, ela não pediu sinal para confirmar sua fé. Sem controvérsia, grande foi o mistério da piedade, Deus manifestado em carne (1 Tm 3.16). A natureza humana de Cristo devia produzir-se dessa forma, para que fosse adequada para Aquele que seria unido com a natureza divina. Devemos, como Maria aqui, guiar nossos desejos pela palavra de Deus. Em todos os conflitos devemos lembrar que nada é impossível para Deus; e ao lermos e ouvirmos suas promessas, convertamo-las em orações: "Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra.” (Lc 1.38).

III- A VISITAÇÃO E O CÂNTICO DE MARIA (Ler versículos 39-56).

Muito bom é, que aqueles em cujas almas tem começado a obra da graça se comuniquem entre si. Isabel estava ciente, quando chegou Maria, de que se aproximava a que seria a mãe do grande Redentor. Ao mesmo tempo, foi cheia do Espírito Santo, e sob sua influência declarou que Maria e ela esperavam filhos que seriam altamente abençoados e felizes, e particularmente honrados e queridos pelo Deus Altíssimo.
Maria, animada pelo discurso de Isabel, e também sob a influência do Espírito Santo, prorrompeu em gozo, admiração e gratidão. Sabia que era pecadora e que necessitava do Salvador, por isso regozijou-se em Deus com um belo cântico, (Magnificat - Engrandece; 1.46-55), por causa da vinda do Messias prometido. Todos que captam sua necessidade de Cristo, e que estão desejosos de ter justiça e vida nEle, a estes enche com coisas boas; e são abundantemente satisfeitos com as bênçãos que Ele dá. Ele satisfará os desejos do pobre de espírito que anseia bênçãos espirituais, enquanto que os autosuficientes serão lançados longe.

Conclusão:

Os ministérios de Jesus e de João foram bastante entrelaçados, João foi o precursor do Messias. Sua ligação foi tamanha que desde o nascimento compartilharam da benção divina. Um nasceu para preparar o caminho do outro (Jesus). Jesus nasceu para ser o salvador de João Batista e toda a humanidade. O anjo Gabriel anunciou o nascimento de duas crianças maravilhosas, e estes nascimentos foram respondidos pelos fieis com louvor. Oremos ao Senhor para que cada anuncio de nascimento de uma criança na nossa igreja, possamos ser abençoados com a visitação do Senhor.

Próxima lição: LIÇÃO 2: NASCIMENTO DE JOÃO BATISTA
TEXTO: LUCAS 1.57-80

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Trabalho na Missãओ बतिस्ता da Cidade Batista AVANÇA!

A cada dia Deus vem confirmado sua vontade para a mais nova frente missionária da nossa Igreja. Fundada em outubro de 2009, o trabalho na Cidade Batista vive um grande momento. Desde o início do mês de maio, o pr. Emmanuel Neto e sua esposa Sandra, atuam como dirigentes da frente missionária, integrando oficialmente o quadro de missionários da nossa igreja.

As expectativas são as melhores possíveis e os sonhos grandes para a “Igreja que está nascendo”, slogan adotado pelo próprio pastor Emmanuel. A sensação ao visitar a congregação é que todos tem a percepção de estarem vivendo um momento muito especial, sentindo-se privilegiados ao presenciarem o que Deus está fazendo. Além da chegada do pastor Emmanuel, aos poucos, os recursos materiais tem chegado e mais pessoas tem se agregado ao trabalho. É o caso do seminarista Rafael, um dos fundadores da missão, que agora volta com sua esposa Pollyanna, responsáveis por Música & Adoração.

O trabalho da missão é direcionado às crianças do orfanato, aos idosos do Lar do Ancião, e também à crescente comunidade que vive na Estrada dos Caboclos e nas proximidades. Os irmãos da missão inclusive, recolhido roupas e calçados que são doados às pessoas necessitadas da comunidade. Hoje a congregação conta com uma média de 60 frequentadores, entre adultos e crianças. Já há quatro candidatos ao batismo.

Durante a semana, o pr. Emmanuel e outros irmãos vem realizando estudos bíblicos nos lares. No sábado às 15h, é tempo de evangelismo nas casas e condomínios. No domingo pela manhã às 9h, é hora da EBD com classe para crianças e adultos. Às 10h é realizado o culto matutino. Mais tarde, às 18h acontece o culto vespertino.

Você, membro da igreja, não deixe de visitar a missão batista da Cidade Batista e testemunhar com os seus próprios olhos o que Deus tem feito!

Pr. Elber Macharetti

quinta-feira, 24 de março de 2011

Transformando a Igreja latente em Igreja manifesta

Antes de falar sobre uma igreja latente e manifesta é necessário fazer algumas definições.
Definição de latente - Significa não manifesto, oculto, dissimulado, disfarçado etc.
Definição de Manifesta - Significa justamente o contrário de latente, significa evidente, coisa manifesta, revelação etc.
Segundo Paul Tillich a transformação de uma igreja latente para manifesta ocorre quando todas as atividades da Igreja, pelas quais ela age em prol da transformação de si mesma onde quer que ela se encontre em estado de latência, para seu estado manifesto recebendo o Novo Ser em Jesus como o Cristo. Outro escritor que nos oferece uma boa visão de Igreja Manifesta é David Bosch, para ele a fé cristã é uma fé missionária com uma perspectiva intrinsecamente universal e ecumênica. Bosch argumenta que o evangelho é universal, que Deus é missionário e a missio Dei (singular) antecipa, fundamenta e critica as missiones ecclesiae (plural). Nessa perspectiva, a Igreja perde seu lugar de relevo e passa a um “segundo plano” porque se reconhece como realidade descentrada de si e concentrada no Reino. Outro ponto interessante da visão missionária de Bosch é a defesa de que Deus continua a realizar a nova realidade que foi inaugurada e manifesta na vida, ministério, morte e ressurreição de Jesus Cristo – o seu reinado de vida, amor, dignidade, justiça e paz. Embora esse reinado pareça oculto, está presente na história como fermento, sal e luz em diversos grupos. A igreja participa na missão de Deus na medida em que busca identificar os sinais atuais do reinado de Deus agora e para sempre. A igreja em missão é um sinal da intenção de Deus para a humanidade e a criação, “ela é chamada a encarnar, já no aqui e agora, algo das condições que hão de prevalecer no reinado de Deus”.
Que sejamos esta igreja manifesta, “louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo, pois todos os dias acrescentará o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar." (Atos 2.47)
Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto

Do Caos a força amor

Que dias trabalhosos nosso povo está enfrentando devido às fortes chuvas que afligiram a região serrana do Rio de Janeiro e outras cidades do Brasil. Centenas de mortes, centenas de desabrigados, porém uma enxurrada de manifestação de amor pelas vítimas das enchentes pode ser vista por centenas de voluntários.
Nesta semana inicia a 91ª Assembléia da CBB em Niterói, RJ. O tema: Vida Plena e Meio Ambiente é bem oportuno para realidade que vivemos nestes dias, pois sem dúvida alguma, existe uma conexão entre a vida pecaminosa do ser humano e o caos na natureza, portanto para ter vida plena é necessário ter responsabilidade com meio ambiente.
Diante deste desafio devemos renovar nossa esperança, como o Apóstolo Paulo escreveu “as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8:18). Nos versículos seguintes o Apóstolo escreveu: “Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora” (Rm 8:19-22).
O homem e a natureza estão de tal modo intimamente relacionados, pois através do pecado a natureza sofreu com ele, assim pela livre graça, que ajusta suas relações com Deus, a natureza também participa da esperança de um reajustamento ou perfeito acabamento.
No início da criação Deus enfrenta e vence a ameaça do caos e da desorganização. Pelo amor, Deus forma a natureza e o homem. Hoje, o caos tenta retornar destruindo a natureza e o homem. Para que o bem seja mais uma vez vitorioso, os filhos de Deus precisam se manifestar ajudando a cuidar deste mundo, pois o Senhor nos criou para sermos seus embaixadores. Continuemos a cuidar deste mundo, cuidando dos seres humanos, pois de nós sairá a força do amor.
Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto

O amor requer prioridade

Você conhece alguém que é ciumento? Com certeza deve conhecer! Um namorado, uma namorada, um noivo, uma noiva, um marido, uma esposa, não é difícil encontrar. O ciúme é um sentimento e manifestação da apreensão provocada pelo receio de perder o objeto ou pessoa amada. Quantos problemas um casal enfrenta quando existe ciúme na relação? Muitas são as aflições e angstias geradas por este sentimento. É claro que pode existir também uma forma de ciúme mais leve, que se confunde com zelo pela pessoa amada, este sentimento em certa forma é benéfico e faz bem para saúde emocional de um casal. Algumas pessoas que são ciumentas desejam exclusividade na relação. Para elas o amor deve ser exclusivo, este sentimento também é uma forma de dominar o outro. Deus não é escravizado por este sentimento, o amor de Deus é diferente, ele não requer exclusividade, pois a sua vontade é que amemos a todos, mas o Senhor requer de nos prioridade.
Na versão grega Nestlé do Novo Testamento Lucas 14:26 aparece assim: “Se alguém vem para com migo e não odeia o pai dele próprio, e a mãe, e a mulher, e os filhos, e os irmãos, e as irmãs, ainda até também a vida dele próprio, não pode ser de mim discípulo” (tradução literal do grego para o português). Esta ordem de Jesus para odiar os familiares é uma forma de o hebreu se expressar os teólogos chamam de hebraísmo. Odiar neste versículo tem o sentido de desapego total e imediato para seguir a Jesus. O mestre requer prioridade acima de todos e qualquer coisa.
Seguir a Jesus requer prioridade! Quão doloroso é o chamado do evangelho, desapego total, não é deixar de amor os outros, pois isto seria uma contradição da mensagem de amor de Cristo, mas nosso amor precisa colocar Cristo acima de nossos corações.
Neste dia que o Senhor nos fez reflita sobre o que você ainda precisa se desapegar, para colocar Cristo no centro do seu coração, coloque tudo aos pés de Cristo, pois ELE cuidará de ti e dos seus e de tudo que é seu.
Do seu amigo pastor Emmanuel Neto

BONS VOTOS PARA CUMPRIR EM 2011

Salmos 101:1-8
Amados no SENHOR, em cada inicio de ano tenho o costume de renovar meus sonhos, meus ideais, meus projetos e meus votos de compromisso com Deus. O que faço não é algo incomum muita gente também tem esta prática, no inicio de cada ano, contudo acredito que algumas pessoas, mal orientadas, são motivadas a renovarem compromissos desnecessários para saúde espiritual.
Quero contribuir para sua renovação citando alguns bons votos, que o SENHOR colocou diante de mim para que eu venha me comprometer. Estes votos são baseados na Palavra de Deus, sendo assim servem como bússola para todas as pessoas que desejam viver segundo a vontade de Deus.
Comprometo-me a
I- SER SINCERO NA MINHA CASA. V.2
“Andarei em minha casa com um coração sincero”.
II- NÃO ALIMENTAR A MINHA VISÃO COM COISAS QUE NÃO EDIFICAM. V.3
“Não porei coisa má diante dos meus olhos”.
III- SELECIONAR BEM AS AMIZADES. V.4
“não conhecerei o homem mau”.
IV- NÃO FALAR TÃO MAL DAS PESSOAS. V5
“Aquele que murmura do seu próximo às escondidas, eu o destruirei”.
Para todo o cumprimento da Palavra de Deus o SENHOR nos promete bênçãos e neste salmo o Senhor nos diz: “Os meus olhos estarão sobre os fiéis da terra, para que se assentem comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá”. (v.6) Contudo o não cumprimento da vontade do SENHOR nos leva a um triste resultado, diz o Senhor: “O que usa de engano não ficará dentro da minha casa; o que fala mentiras não estará firme perante os meus olhos. Pela manhã destruirei todos os ímpios da terra, para desarraigar da cidade do SENHOR todos os que praticam a iniqüidade”. (vv.7 e 8) Mais uma vez o nosso Deus nos permite escolher a bênção ou a maldição, escolhemos, pois a bênção para que vivemos.
Do seu amigo Pastor Emmanuel Neto